Publicado por: Mr.Balboa | segunda-feira, 25 agosto 2008

Minhas Olimpíadas

E as Olimpíadas acabaram e eu nem escrevi um artigo…tá bom eu não escrevo um artigo a muito tempo.
Interessante o que os outros dois caras daqui escreveram aqui. Muita discussão também. Mas vamos aos meus pensamentos com os meus botões.
Caso alguém não saiba as Olimpíadas modernas surgiram em 1896 pelo Barão de Cobertin. Ele também idealizou a bandeira olímpica com os cinco anéis entrelaçado: Azul = Europa; Amarelo = Ásia; Preto= Africa; Verde = Oceania; Vermelho = Américas. O lema “Mais rápido, mais alto, mais forte” foi feito por um monge amigo do barão (essa parte do lema é cortesia da Wiki).

Posto isso, olho para as pessoas que fizeram essas olimpíadas. Eu li uma vez que os seres humanos são insustentáveis e inviáveis, porém apenas nas olimpíadas vemos quais seres humanos são viáveis. Será? Minha resposta é Jein (sim e não em alemão, que é uma gíria para esses momentos).
Seria o judoca brasileiro que ficou mais de 10 anos preso na penúltima faixa por não ter dinheiro, menos vencedor por ter ficado em 5º colocado do que o time da Ginástica Ritmica Russa que conquistou pela terceira vez consecutiva o ouro?
Eu vi quando o Galvão proferiu aquelas palavras parcialmente boas (sim eu testemunhei algo muito raro de se ver…) e concordei em parte. É super legal ir para as Olimpíadas, mas à partir daquele momento deve-se ir o mais longe possível. Ganhar e perder faz parte das competições, portanto não há motivos para um atleta ficar pedindo desculpas para o país por não ter conseguido conquistar uma medalha. Há sim aqui no Brasil uma pressão descomunal sobre os atletas de ponta e que tem uma boa chance de ganhar um ouro. Como também há o descaso em alguns outros esportes que só aparecem devido suas medalhas (Taekwondo é um exemplo. A brasileira já foi campeã mundial e conseguiu a primeira medalha para o esporte no Brasil e no entanto o incentivo que a confederação é a mesma do Hoquei na Grama!).No momento o nosso tamanho é de Pan-Americano e não de Olimpíada (só trazendo uma informação: no Pan existem 5 esportes que são considerados demonstrativos e que mudam de Pan para Pan, portanto os fixos são 30 contra 28 das Olimpíadas)

Acho que estamos num nível um pouco maior do que estavamos a 3 olimpíadas atrás, quando conquistamos o maior número de medalhas numa competição (feito repetido esse ano). Um pouco porque o dinheiro que foi dado não foi tão bem utilizado. Mesmo o vôlei que é o carro chefe das delegações olímpicas brasileiras (e há méritos nisso) erra. O presidente não quis bancar a psicologa do time feminino medalha de ouro. O que falta em alguns casos é a falta de profissionalismo e de pesquisa para ver o que os outros países. Eu tenho consciência de que não é de uma estação para outra que vamos nos tornar uma potência olímpica. Também sei que muito difícil nós dispormos da tecnologia que o EUA utilizam na natação, ou que a Grã-Bretanha utilizou no ciclismo. Mas ainda sim existe a técnica e os treinos que deveriam ser copiados, nos casos onde o resultado não foi satisfatório e posteriormente até melhorados. Não vejo nenhum bicho de 7 cabeças fazer um intercâmbio com o Jamaica para o atletismo dos velocistas e com os africanos para os atletas de provas de fundo. Com certeza não teríamos uma despesa exorbitante diante dos resultados que poderíamos obter, além de técnicas. Mas isso passa pela administração…

Também é importante que o esporte seja difundido nas escolas. Não só o futebol para os garotos e o handball para as garotas. Todos os tipos de esportes possível. Para isso precisa de investimento e administração (olha essa palavra aparecendo de novo). Ter centro ou escolinhas de confederações para incentiver um(a) garoto(a) a conhecer um esporte desconhecido. Administração é a palavra chave para conseguirmos resultados melhores nos esportes de alto nível.

Passando para o lado mais humano, ganhar é muito bom e todos sabem. A dor de perder uma final e ficar “só” com uma prata é pior do que extrair o dente sem anestesia, pois a dor está em toda a parte e você não tem nem idéia de como fazer para pará-la. Mas depois de algum tempo se percebe que eles são medalhistas olímpicos. E isso não é para qualquer um. Também é preciso reconhecer que quem ganhou uma medalha olímpica tem seus méritos, mesmo não sendo a de ouro. Que as vezes uma medalha de bronze vale muito mais que a medalha de ouro ( é só olhar o exemplo do marotonista brasileiro Vanderley Cordeiro, que com certeza será lembrada daqui a muitos anos e que aparecerá nos filmes olímpicos, como apareceu a suiça que checou na última posição na maratona de 88 quase sem força, mais desmaiada do que acordada e que foi se conduzindo apenas com sua determinação. Por acaso alguém lembra quem foram os campeões dessas duas provas?).
Difícil fazer uma análise desse tipo, até porque eu mesmo tenho vários pontos de vista nesse caso. Mas é mais ou menos assim que eu vejo as Olimpíadas.

Anúncios

Responses

  1. “Ele também idealizou a bandeira olímpica com os cinco anéis entrelaçado: Azul = Europa; Amarelo = Ásia; Preto= Africa; Verde = Oceania; Vermelho = Américas.”

    Na verdade não. Pesquisa melhor ; ) Tanto que o nome “Oceania” só foi cunhado em 1831, pouco tempo para que o popularizasse de tal modo que justificasse sua inclusão na bandeira.

    “(Taekwondo é um exemplo. A brasileira já foi campeã mundial e conseguiu a primeira medalha para o esporte no Brasil e no entanto o incentivo que a confederação é a mesma do Hoquei na Grama!)”

    Acharia extremamente injusto que houvesse mais incentivo para um esporte só porque houve um campeão mundial dentre os competidores. Explico: campeonatos mundiais são MUITO diferentes de olimpíadas, tem focos diferentes e um campeão mundial pode não ser um medalhista e vice-versa. Daí é questão de justiça haver essa igualdade “forçada”. Caso o TKD se sobressaísse, nas próximas olimpíadas receberá mais verba etc.

    “(só trazendo uma informação: no Pan existem 5 esportes que são considerados demonstrativos e que mudam de Pan para Pan, portanto os fixos são 30 contra 28 das Olimpíadas)”

    Olimpíada tb, os países-sede escolhem e volta e meia os esportes viram modalidades olímpicas (como o Beach Volley que foi exibição em 1996), maaaaaaas, se bem me lembro, esporte de exibição não vale medalha, não há premiação e não conta para o quadro geral. Então a minha conta de número de modalidades ali embaixo ainda tá valendo :P

    Mas bem que poderia valer. Afinal, em Sydney teve competição de DANÇA DE SALÃO. Cara, imagina ser medalhista olímpico de Daça de salão? Chique demais =D

  2. Ps.: aprenda a usar o “leia mais” que o Yumejin trouxe. É bem interessante e melhora o layout do blog ; )

  3. Ao amigo TCZ,

    Eu acho que a sua pesquisa foi mal feita, pois é do Barão de Cobertin a bandeira e o simbolismo dela. Ela(a bandeira) foi feita em 1913. Tempo o suficiente para ser conhecida a Oceania como você mostra no seu argumento. ; )

    Quanto aos esportes exibição, como eu expliquei ao vivo, no Pan elas contam medalhas no quadro sim, já que em 2007 uma das medalhas de ouro do Brasil foi no Futsal, modalidade em teste ainda.

    Quanto ao Leia Mais eu vou aprender a utilizá-lo.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: