Publicado por: Melquíades | sexta-feira, 24 outubro 2008

Até o poeta

Apresento a vocês um passatempo no qual fui viciado por um certo tempo. Quando vocês notarem o que esse poema que fiz tem de peculiar, aposto que vão tentar escrever algo assim também. ;P

A dor

Adorai, Ó Dadiva!
Se amar, ame a vida; do trepador até o poeta.
A vida é a diva da dor:
ama anular o processo para posse corporal una.
Ama.
Roda da vida é a diva;
Até o poeta roda perto da diva!
É má… rama és.
A vida dói.
A roda roda.

Pode conferir quantas vezes quiser. É isso aí mesmo.

Ah, claro: se não fizer pelo menos algum sentido, não vale! É muito divertido, tentem!

 

Post decente loading: |________72%__|      |

Anúncios

Responses

  1. Excelente!

    Ficarei MUITO tentado a fazer algo igual!!!

    Maaaaaas duvido que conseguirei (se isso do significado não fosse tão difícil de encaixar eu JURO que comentava assim também! hauahauha)

    Que venha mais!

  2. já tentei fazer esses poeminhas com palavras ocultas, palíndromos e tantas outras “gracinhas” que nossa língua proporciona, mas sempre sía uma merda :/

    talvez se tivesse usado palavras menores, tivesse sucesso. :P

  3. legal. eu não sei fazer isso >_<

  4. E até o Papa poeta é…

    É tudo o que eu consigo, heh. Mas palavras ocultas são mais interessantes, acredito eu. Esperando o “post decente”.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: