Publicado por: - TCZ - | sábado, 8 novembro 2008

Ensaio sobre a Alergia – 1

“Alergia
Pior pesadelo de um homem, pior que chuva de meteoros, pior que febre aftosa, pior que uma coisa pior que isso tudo. Alergia.

Mas não é qualquer alergia, não é qualquer espirrinho sem sentido. É uma crise. Das grandes, daquela que faz seu nariz querer ser um dedo, isso se narizes tivessem sentimentos ou coisa do tipo. Com o tempo acabamos aprendendo que cutucar o nariz escondido dos outros não faz que o nariz se sinta melhor no ato de violação. Aliás, ele não se sente de forma alguma.
Mas falávamos de alergia, ou melhor, de uma crise alérgica.
O problema maior das crises alérgicas é que elas afetam o nariz. Certo que seria bobo pensarn uma crise alérgica que atingisse os pés, fazendo o doente pular quando porventura espirrasse, ou talvez escorregasse por causa do muco na sola dos pés. O problema de acontecer no nariz é que o nariz é uma peça vital do corpo. Talvez uma das mais importantes porque é o Nariz que deixa o ar entrar nos pulmões. O Nariz é um pedaço do rosto muito sensível também, uma protuberância elegante que serve para apoiar os óculos e ficar gelado no inverno. Mas da respiração, na respiração que ele fica mais importante. Não imagino só um buraco na cara para respirar, quando chovesse por exemplo poderíamos morrer afogados. Ou se pó caisse na cabeça das pessoas, elas espirrariam mais. O Nariz garante que o ar venha de baixo, e eu nunca vi chuva ou poeira caindo pra cima. As carnes do nariz dos lados tb evitam coisas que venham, olha que espantoso, dos lados. Resumindo o Nariz é algo muito importante no rosto.
O problema como eu disse é que o nariz é muito delicado. Quem nunca recebeu uma pancada no nariz que atire a primeira pedra (espero que não no nariz claro), você chora como uma criança. E nem precisa duma coisa tão ruim como uma pancada, um cheiro mais forte serve: quem nunca cheirou uma boa cebola (ou um bom gas lacrimogênio) e não fico quase cego pela irritação nos olhos e pelas lágrimas? Bem, eu já.
Daí o problema com as crises alérgicas: elas enfraquecem o nariz e fazem tudo ao mesmo tempo, doem e impedem que você respire direito. Deixam você cansado porque não respira direito, e deixam também o nariz escorrendo, e nariz escorrendo muito ruim, suja tudo e o ranho nunca acaba por mais incrível que pareça. E você também espirra, e quando espirra quase quebra costelas e arrebenta veias do cérebro, uma coisa terrível. E se você junta o nariz escorrendo e os espirros (que aliás vem sempre sem aviso. Ou com um aviso que vem com antecedência suficiente para que você vire o rosto e atinja em cheio qualquer outra coisa que não deveria ser atingida. Você claro, pode por a mão n boca, mas em pouco tempo sua mão parecerá um fungo com dedos) é como um campo minado – você tem que sempre tomar cuidado com o que está acontecendo debaixo do seu nariz, não deixar nada sem atenção, nada vazar, porquê quando você menos espera tudo explode e voa pra todo lado.
Olha que isso de campo minado funciona bem. Por exemplo, o nariz por dentro fica muito sensível, então quanto mais se funga, tentando trazer pra dentro o que quer sair, mais vai pra fora e as vezes de forma explosiva. Então você tem que se acalmar e não tentar nada, nenhum movimento brusco, sem atos de heroísmo e ninguém sai machucado. É como um sequestro da Alergia ao seu Nariz. Só que não pedem resgate. Ai então, você ainda pode desempenhar suas tarerfas habituais, mas claro, dentro dos limites que o sequestrador impõe, o que é o mesmo que nada. Tem que respirar com calma e cuidado, evitando que as coisas escorram do controle ou que explodam de vez. Atingir uma estabilidade é a coisa mais importante.
Mas um detalhe muito importante é que narizes em crise, em desespero, tentam evitar qualquer acidente e parar o tormento se fechando para todo o resto em atitude defensiva. Mas isso, claro, acaba com todo o planejamento que foi feito, todo o trabalho de achar o ponto de estabilidade, de controlar a respiração… então, tem que se respirar num fluxo constante, forçando que a abertura continue sendo uma abertura, conquistando aos poucos a confiança do seu nariz, tão abalado pobrezinho, mostrando que o mundo ainda pode ser bonito se as pessoas tomarem cuidado com ele, que ele não precisa se fechar num mundo particular, que não precisa se esconder…
Porque senão, temos que respirar pela boca, e ai as duas vias possíveis a respiração se comprometem. Por um lado você não pode respirar pelo nariz porque ele entupiu e por outro (ou seria “se por cima… por baixo”. Afinal, boca e nariz ficam do mesmo lado) a garganta começa a ficar seca, ficar seca e doer. E a boca também fica seca, e não é uma das melhores sensações da vida ter a boca seca…”

[Porque isso aqui precisa ser divertido, antes de mais nada =D][Não tem continuação planejada, por isso lancei com o nome de Ensaio. Qualquer coisa outro dia eu continuo]

Anúncios

Responses

  1. RINITE! é uma maldição, tenho certeza. tipo a que a Maleficent põe na bela adormecida.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: