Publicado por: - TCZ - | quinta-feira, 2 abril 2009

Y: o último homem – Resenha

Imagine o seguinte cenário: um dia, você acorda e o mundo está num
caos apocaliptico! Pessoas mortas nas ruas, caos social, carros
abandonados no meio disso tudo com mais pessoas mortas dentro, todas
parecendo uma massa nojenta de sangue e tripas e só sobrou você e
seu macaco! Bem, vai ser uma longa vida, claro, a não ser que o Diddy
Kong aqui resolva aprender uns truques “interessantes”. Ah qualé! Você
precisa se entreter e um dia pode cansar de toda a tralha que o mundo
deixou pra trás e o macaco pode ser ut…opa! Você NÃO ESTÁ SOZINHO!
Tem mais coisas vivas bípedes junto com você, sozinho com elas
trancado dentro do planeta… mas espere! Não são zumbis (oh, droga!), são…
são… MULHERES?!?!?!

Você descobre que morreu e foi pro paraíso, ou melhor, TODOS OS HOMENS
morreram e te deixaram nele! YES!!! \o/ Check it out: só você de
homem, um mundo inteiro de possibilidades de mulheres diferentes
doidas pra te encontrar (porque você SABE do que as mulheres REALMENTE
GOSTAM *risadinha canalha*) e lembra daquele papo “nem se você fosse o
ÚLTIMO HOMEM DO MUNDO”? Guess what baby… duvido que ela vai se
manter tão resoluta! Todo um mundo de bens materiais que você nunca
pode ter porque tinha outro babaca que era dono delas e, adivinhe! ELE
MORREU!!! E não tem mais nenhum pra ocupar o posto! Aliás, pense
melhor, todo babaca que já te atormentou, todo cara mais velho que
roubou teu lanche, tua bicicleta, tua mina, teu voto, simplesmente
virou purê de sanguinho! Isso fica cada vez melhor não?

Não!

Quando todos os homens morrem, ao contrário do que você pode pensar
nos seus delírios sexuais adolescentes (ou do que as feministas
extremistas podem pensar em suas distopias autoritárias), morrem
também, assim numa estimativa bem tosca mas muito ilustrativa, METADE
da população do mundo. Operadores de usinas de eletricidade, nucleares, de
sistemas de computadores, sistemas de voo, de telemarketing… todos
mortos. Você começa a perceber agora que talvez todo aquele mundo de
bens materiais parece mais e mais distante. Mas não é só isso, você já
viu CLARO mulheres de TPM, viu como elas ficam. Viu como elas se
comportam em relação aos homens, mesmo sem estar de TPM é algo as
vezes assustador, duas mulheres disputando o mesmo homem pode ser tão
quanto ou até mais violento que dois cachorros disputando um osso.
Imagine agora meu velho, essa fúria menstrual JUNTO com a de milhões
disputando um único homem! Amigo, não tem viagra e red bull que te
segure… e lembra que eu comecei falando da TPM? Você sabia que
mulheres quando ficam em grupo convivendo por muito tempo acabam
ficando com seus ciclos menstruais em SINCRONIA? Sabe, o MUNDO INTEIRO
DE TPM, AO MESMO TEMPO,querendo você como se você fosse o último homem
da terra. Já jogou um pedaço de carne num formigueiro e ficou olhando?
Pois é… agora as coisas não parecem mais tão boas não é?

Ah e tem mais um detalhe: você está perdidamente apaixonado pela
garota perfeita, aquela que tirou seu cabacinho e é tudo o que você
queria na vida, que você ia pedir em casamento e tudo (e até comprou
um anel pra isso numa loja de bugingangas legais) mas que está perdida
no meio do deserto na AUSTRÁLIA. Mencionei todo o caos social? E
mencionei também que a Austrália é uma ilha e que com a queda da ordem
social todos os meios de transporte quebraram? E mencionei, agora você
vai pirar, que você a ama TANTO que simplesmente PRECISA ir até ela e
deixá-la segura o quando antes?

É, ainda bem que você não é Yorick Brown, que com seu macaquinho
Ampersand (o nome do simbolo “&”) tem que enfrentar um mundo de
malucas histéricas em busca da mulher amada travando uma viagem dos
Estados Unidos até a Austrália e no meio do caminho passando por
várias situações inusitadas típicas deste cenário em “apenas” 60
edições, mas que merecem atenção por seu roteiro conciso e
absolutamente sequencial, que permite até mesmo pensar em “Y” como
praticamente um roteiro para um seriado de televisão tamanho a
perfeição dos capítulos no cumprimento do objetivo de contar uma
históra, coisa que Y faz muito bem. Y é uma criação de Brian K.
Vaughan e Pia Guerra.

Y: The last man

Editora:        DC/Vertigo
Data de publicação:     Setembro 2002 – Janeiro 2008
Personagens principais: Yorick Brown
Agente 355
Doutora Allison Mann
Ampersand
Criadores:
Escritor:       Brian K. Vaughan
Desenhistas:    Pia Guerra
Goran Sudzuka
Paul Chadwick
Colorista:      Jose Marzan Jr.

Anúncios

Responses

  1. Excelente HQ!
    tranquilamente uma das melhores que já li nos últimos tempos!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: