Publicado por: - TCZ - | quarta-feira, 10 junho 2009

O Google e a Pedofilia

Recentemente acabei sabendo pelos jornais aqui do Rio (e
imagino que isto também tenha chegado no resto do Brasil
ou na TV) duma pol^meica sobre o Google, mais
precisamente envolvendo o serviço Google Suggest,
Pedofilia e o oportunismo/ignorância/hipocrisia de nossos
políticos.
O que aconteceu foi o seguinte, pelo jornal O DIA, das
indústrias GLOBO, uma matéria veiculada mostrava como o
sistema de pesquisa pela internet mais famoso do mundo, o
Google, com o seu serviço de auto-completar as pesquisar
digitadas na barra de texto, acabava apresentando
sugestões de sites com conteúdo pornográfico contendo
material de pedofilia. A reportagem mostrava isto e
cobrava uma posição do escritório do Google no Brasil
para que isto fosse corrigido imediatamente. Não demorou
muito para que a eleitoreira CPI DA PEDOFILIA resolvesse
meter o bedelho no assunto a exigir que o Google parasse
de sugerir sites com conteúdo pedófilo para seus
usuários. O Jornal afirmava inclusive que bataria digitar
a palavra “menina” na barra de pesquisa para que
surgissem sugestões como “meninas de calcinha virgens
nuas 15 14 13 anos” whatever. Bem, o interessante mesmo é
que a matéria deixa a entender que essa sugestão do site
de pesquisas do Google é aleatória, o que não é.
Em primeiro lugar não eram apresentados “atalhos para
sites com conteúdos de pornografia infantil”, isso é
falso. O que apareciam eram complementos de frases, os
resultados seriam apresentados numa página à parte e cabe
ao usuário clicar ou não neles. Isso demonstra como a
verdadeira “caça as bruxas” da dita CPI se extende aos
limites da ignorância: já estava aqui esperando que
alguém falasse em indiciar o site de pesquisas por crime
federal, ou instaurar um inquérito procurando o
“responsável” por isso. Provavelmente em alguma igreja
pentecostal dessas o Google já tenha virado a mais nova
face de Satã, pervertendo criancinhas em nome do demo…
Em segundo lugar e mais importante, o Google Suggest não
completa as pesquisas de forma aleatória ou, ainda mais
como foi sugerido, intencional. Como afinal funciona o
Google Suggest???
Direto do Google Labs [labs.google.com/suggestfaq.html]
“That’s pretty cool. How does it do that?
Our algorithms use a wide range of information to predict
the queries users are most likely to want to see. For
example, Google Suggest uses data about the overall
popularity of various searches to help rank the
refinements it offers. An example of this type of
popularity information can be found in the Google
Zeitgeist. Google Suggest does not base its suggestions
on your personal search history.”
Completando com o que consegui neste site para clarificar
mais as coisas
[http://www.mestreseo.com.br/google/google-suggestion-com
o-google-sugestao-funciona]
“A ordem em que aparecem as sugestões de busca se dá pela
própria importância dos termos para uma determinada
comunidade de usuários sobre aquele termo. Já a ordenação
de URLs, se dá pela importância da URL em si. Uma
informação muito importante.
Com base nas palavras (e letras) que são digitadas,
opções de pesquisa começam a aparecer baseados em:
uso de dispositivo móvel para realização da busca
uso de um desktop para realização da busca
identificação de perfil de usuário
existência de um histórico de busca que possa ser usado
para definir interesses do usuário
tipo de conexão
velocidade de conexão
configurações do browser (como língua usada)
qual a frequência que determinada sugestão foi utilizada
como busca quando apresentada
conceitos associados à busca (animal, alimento, música,
…)”
Portanto como podem ver, a cruzada anti google da CPI é
imbecil pois procura os culpados ERRADOS. As sugestões do
Google Suggest levam em consideração fatores derivados
dos PRÓPRIOS USUÁRIOS, ou seja, quanto mais pessoas
pesquisarem “meninas peladas nuas de treze anos de
calcinha virgens” whatever, mais no topo esta opção
aparecerá nas sugestões. Portanto, a culpa não é do
Google, mas sim da sociedade DOENTE em que vivemos, onde
a internet é tida como terra de ninguém, onde basta
digitar algumas palavras (ou mesmo uma, como, dessa vez
acertadamente, acusou a resportagem) para ter acesso à
conteúdo ilegal. Então se é contra alguém que a CPI tem
de se posicionar, é contra os milhões de usuários que
realizam pesquisas como essas e, em último caso, contra a
sexualidade humana.
Então a questão aqui é mais profunda: não é do porque o
Google “sugere” páginas de pornografia ao seu usuário que
procura por “meninas” no serviço de busca, mas sim porque
tantos usuários e tantas pesquisas procuram por estas
coisas. Respondendo isto talvez entendamos porque as
pessoas enxergam a internet como o paraiso da liberdade,
onde é justificado cometer este tipo de crime e se achar
no direito de tal coisa, e também no direito de sair
impune. Até onde vão os limites da liberdade e quando é
que eles se chocam contra a moralidade e a lei, ou será
que não se chocam? Muitas perguntas certamente, mas uma
conclusão podemos tirar de forma fácil, que mais uma vez
tanto a sociedade quanto a mídia e PRINCIPALMENTE nossos
políticos (que eu duvido muito que estejam TODOS
preocupados com a segurança de nossas crianças…) estão
DESPREPARADOS para lidar com a internet e tecnologias
afins, mesmo que seja em relação a uma simples página de
busca do maior e mais popular site de serviços da
internet.

Recentemente acabei sabendo pelos jornais aqui do Rio (e imagino que isto também tenha chegado no resto do Brasil ou na TV) duma polêmica sobre o Google, mais precisamente envolvendo o serviço Google Suggest, Pedofilia e o oportunismo/ignorância/hipocrisia de nossos políticos.

O que aconteceu foi o seguinte, hoje (10/06) foi publicado pelo jornal O DIA, das indústrias GLOBO, uma matéria que mostrava como o sistema de pesquisa pela internet mais famoso do mundo, o Google, com o seu serviço de auto-completar as pesquisar digitadas na barra de texto, acabava apresentando sugestões de sites com conteúdo pornográfico contendo material de pedofilia. A reportagem mostrava isto e cobrava uma posição do escritório do Google no Brasil para que isto fosse corrigido imediatamente. Não demorou muito para que a eleitoreira CPI DA PEDOFILIA resolvesse meter o bedelho no assunto a exigir que o Google parasse de sugerir sites com conteúdo pedófilo para seus usuários. O Jornal afirmava inclusive que bataria digitar a palavra “menina” na barra de pesquisa para que surgissem sugestões como “meninas de calcinha virgens nuas 15 14 13 anos” whatever. Bem, o interessante mesmo é que a matéria deixa a entender que essa sugestão do site de pesquisas do Google é aleatória, o que não é.

Em primeiro lugar não eram apresentados “atalhos para sites com conteúdos de pornografia infantil” (utilizando as próprias palavras da matéria), isso é falso. O que apareciam eram complementos de frases, os resultados seriam apresentados numa página à parte e cabe ao usuário clicar ou não neles. Isso demonstra como a verdadeira “caça as bruxas” da dita CPI se extende aos limites da ignorância: já estava aqui esperando que alguém falasse em indiciar o site de pesquisas por crime federal, ou instaurar um inquérito procurando o “responsável” por isso. Provavelmente em alguma igreja pentecostal dessas o Google já tenha virado a mais nova face de Satã, pervertendo criancinhas em nome do demo

Em segundo lugar e mais importante, o Google Suggest não completa as pesquisas de forma aleatória ou, ainda mais como foi sugerido, intencional. Afinal, como funciona o Google Suggest???

Direto do Google Labs

“That’s pretty cool. How does it do that?

Our algorithms use a wide range of information to predict the queries users are most likely to want to see. For example, Google Suggest uses data about the overall popularity of various searches to help rank the refinements it offers. An example of this type of popularity information can be found in the Google Zeitgeist. Google Suggest does not base its suggestions on your personal search history.”

Completando com o que consegui neste site para clarificar mais as coisas

“A ordem em que aparecem as sugestões de busca se dá pela própria importância dos termos para uma determinada comunidade de usuários sobre aquele termo. Já a ordenação de URLs, se dá pela importância da URL em si. Uma informação muito importante.


Com base nas palavras (e letras) que são digitadas, opções de pesquisa começam a aparecer baseados em:


uso de dispositivo móvel para realização da busca

uso de um desktop para realização da busca

identificação de perfil de usuário

existência de um histórico de busca que possa ser usado para definir interesses do usuário

tipo de conexão

velocidade de conexão

configurações do browser (como língua usada)

qual a frequência que determinada sugestão foi utilizada como busca quando apresentada

conceitos associados à busca (animal, alimento, música, …)”

Portanto como podem ver, a cruzada anti-google da CPI é imbecil pois procura os culpados ERRADOS. As sugestões do Google Suggest levam em consideração fatores derivados dos PRÓPRIOS USUÁRIOS, ou seja, quanto mais pessoas pesquisarem “meninas peladas nuas de treze anos de calcinha virgens” whatever, mais no topo esta opção aparecerá nas sugestões. Portanto, a culpa não é do Google, mas sim da sociedade DOENTE em que vivemos, onde a internet é tida como terra de ninguém, onde basta digitar algumas palavras (ou mesmo uma, como, dessa vez acertadamente, acusou a resportagem) para ter acesso à conteúdo ilegal. Então se é contra alguém que a CPI tem de se posicionar, é contra os milhões de usuários que realizam pesquisas como essas e, em último caso, contra a sexualidade humana. Caso alguém se incomode, como por exemplo pais irresponsáveis que transferem sua responsabildiade pela criação das crianças e por suas eventuais falhas para a internet, culpando a rede por tudo, basta DESATIVAR o Google Suggest como mostra o referido FAQ (traduzido por outro serviço do google, o Translator).

Como faço para voltar ao normal o Google?

Você pode ir diretamente para http://www.google.com, ou tipo http://www.google.com em campo de endereços do seu navegador, de qualquer forma, você estará de volta usando ordinário pesquisa do Google sem o Google Suggest.
Se o Google Suggest vem sempre em você abrir uma nova janela do navegador, pode ser definida como sua casa ou página inicial. Para definir sua página inicial voltar para http://www.google.com (ou qualquer outra coisa), utilizar o seu navegador da web do menu Opções.

No Internet Explorer, você pode fazer isso pela primeira escolha Ferramentas e, em seguida, Opções da Internet. No menu Opções da Internet, procure a seção Home Page, localizar o endereço: caixa de texto, e entra http://www.google.com. Em seguida, selecione OK.
No Firefox, este menu é encontrado em Ferramentas e, em seguida, Opções.
No Mozilla, é encontrado em Editar e, em seguida, Preferências.
Na ópera, é encontrado em Editar e, em seguida, Opções.”

Simples. Doeu em alguém?

Então a questão aqui é mais profunda: não é do porque o Google “sugere” páginas de pornografia ao seu usuário que procura por “meninas” no serviço de busca, mas sim porque tantos usuários e tantas pesquisas procuram por estas coisas. Respondendo isto talvez entendamos porque as pessoas enxergam a internet como o paraiso da liberdade, onde é justificado cometer este tipo de crime e se achar no direito de tal coisa, e também no direito de sair impune. Até onde vão os limites da liberdade e quando é que eles se chocam contra a moralidade e a lei, ou será que não se chocam? Muitas perguntas certamente, mas uma conclusão podemos tirar de forma fácil, que mais uma vez tanto a sociedade quanto a mídia e PRINCIPALMENTE nossos políticos (que eu duvido muito que estejam TODOS preocupados com a segurança de nossas crianças…) estão DESPREPARADOS para lidar com a internet e tecnologias afins, mesmo que seja em relação a uma simples página de busca do maior e mais popular site de serviços da internet.

Anúncios

Responses

  1. Não sabia deste ocorrido. Se esses interessados procurassem descobrir como o serviço funciona, descobririam que o Google não está fazendo mais do que mostrar o que a comunidade na Internet anda buscando.

    Não é o Google que é a favor da pedofilia, é a intenção de busca dos usuários que gira em torno da pedofilia (se, de fato, a pesquisa “menina” sugere o que você relatou, eu não testei).

    Excelente o esclarecimento. E obrigado pela referência ao meu post.

    Um abraço!

  2. “Excelente o esclarecimento”, como já disse o Frank. Chega a ser preocupante ver como é enorme a falta de conhecimento e a problemática que a mesma traz.

    Abraços!

  3. Interessante que o Google retirou o auto complentar da keyword “menina” de suas sugestões.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: